FANDOM


Volta (55).jpg

Quando a vida perde o significado, nada realmente importa. Herman Kregel nos fala de um homem que foi contratado por um psicólogo para uma experiência. Ele foi levado ao quintal e lhe foi dado um machado. – Está vendo aquele bloco de lenha ali? – Sim – respondeu o homem, inclinando afirmativamente a cabeça. – Quero que o senhor proceda como se estivesse cortando lenha, mas use as costas do machado em vez do gume. Eu lhe darei três dólares por hora. O homem pensou que o psicólogo estava louco; mas o salário era tentador, e ele começou a trabalhar. Duas horas depois ele foi para casa. Quando o psicólogo chegou à porta, ele disse: – Senhor, desisto do trabalho. – Por quê? Achou pouco o salário? Posso aumentá-lo. – Não, senhor, o pagamento é bom, mas quando eu corto lenha gosto de ver sair faísca. Prezados amigos, a menos que o homem descubra sua inapreciável herança e encontre significado na vida, sua existência vale menos que o que menos valer na vida. Cedo ou tarde ele sofrerá uma derrocada nervosa, e exclamará que jamais devia ter nascido. Deus é o Autor da vida. Portanto a vida tem um significado desafiador somente quando o homem vive em harmonia com Deus. Mas sem Deus a vida é vazia e destituída de significado. O real significado da vida só pode ser encontrado na Santa Palavra de Deus. As infalíveis profecias apontam o meio de se descobrir esse significado. O homem que segue o caminho indicado experimentará felicidade agora e confiança para o futuro, a despeito do fato de que o mundo está entrando no último ato de sua dramática história de pecado. Temos visto pelas conferências anteriores que a história do mundo segue sem desvio o curso predito pela profecia divina milhares de anos antes. Neste ponto desejo dar ênfase de maneira especial a uma predição feita por nosso Senhor Jesus Cristo. Esta predição Ele a fez dois dias antes de Sua crucifixão, no ano 31 A. D., e se refere ao tempo que precederia o Seu aparecimento. Leio S. Luc. 21:25-28. Um sinal certo da segunda vinda de Cristo, quando Ele redimirá o mundo, seria a "angústia das nações." O coração dos homens, por causa do bramido do mar e das ondas, desmaiaria de terror pelo que estaria acontecendo no mundo. O bramido do mar seria um estado de terrível conturbação. Embora aqui se refira à comoção literal das águas, observai que a palavra "mar" tem também sentido simbólico, como você podem ver: (Apoc. 17:15) E noutro passo: (Isa. 57:20 e 21) Isto significa que em virtude da conduta ímpia de homens e nações, o mundo estaria em temor e desespero. Homens pensantes já vêem essas perplexidades de todos os lados – nossa frouxa moralidade, desprezo pela justiça, amor dos prazeres, ódio e incompreensão entre as nações, armas suicidas que podem exterminar toda a vida da Terra, e os insolúveis problemas que ameaçam a estabilidade de nossa economia, tornando possível a bancarrota. Olhando mais acuradamente para o texto, descobrimos uma afirmativa muito importante: (S. Luc. 21:25 e 26) No grego, língua mater do Novo Testamento, verificamos que a palavra "perplexidade" é traduzida de "aporia", que significa literalmente "beco sem saída." E isto é exatamente o que a profecia quer dizer: Quando as nações são abaladas pelo temor e angústia eu virtude da conduta rebelde da humanidade, nosso mundo encontra-se num "beco sem saída," sem que lhe possa valer o poder humano, religioso ou político, nem as Nações Unidas, nem Washington, Londres, Roma ou Kremlin. Amigos, a única solução em harmonia com as predições de Deus é a Segunda Vinda de Jesus Cristo ao mundo. Sim, nosso Senhor afirma conclusivamente na profecia de S. Lucas 21 que o mundo hoje está caminhando para um "beco sem saída". O Senhor previu as condições que prevaleceriam justo antes do Seu retorno, quando as nações estariam procurando desesperadamente sair desse "beco." Mas segundo a profecia seus esforços serão vãos. Ninguém parece conhecer o caminho que leva para fora do dilema. Somente a profecia pode mostrar os eventos futuros. Em Provérbios encontramos estas palavras de Deus: (Prov. 29:18) Os que deixam de crer na profecia, seguindo antes idéias e filosofias humanas, perecerão. Com este fato em mente voltemos nossa atenção para uma profecia de Apocalipse. Ela nos dá novos informes sobre o destino de nosso mundo. Esta profecia é conhecida pelos estudiosos da Bíblia como Sete Últimas Pragas. Estas pragas ferem com terror o mundo não convertido. Mas os que confiam no Senhor estarão sobre Seu protetor cuidado.

Introdução às Sete Últimas Pragas
Images do fim.jpg

Neste tempo de angústia a humanidade encontra-se a caminho de um beco sem saída. Isto se dará justo antes que Deus sele o destino da Terra. Então os que têm ignorado o chamado de Deus à obediência à verdade e que deixaram de preparar o coração para a Segunda Vinda gloriosa de Cristo, terão de sofrer os efeitos das sete pragas apocalípticas. Estas pragas são enviadas do Céu sobre os que menosprezaram a verdade.

Leio: (Apoc. 16:1) Os que rejeitarem a mensagem da graça de Deus que estou oferecendo esta noite, sofrerão naquele dia as conseqüências destas sete terríveis calamidades. Por outro lado, Deus tem provido ampla proteção aos que vivem em harmonia com os ensinos do livro do Apocalipse.


Duração das Pragas

Quanto tempo durarão as sete pragas? Leio: (Apoc. 18:8) A predição afirma que as pragas virão "num dia." Este tempo na profecia é simbólico. O profeta Ezequiel nos dá a chave para interpretação deste dia simbólico: "Um dia te dei para cada ano." Ezeq. 4:6. Portanto a praga que produz "morte, e o pranto, e a fome," durará cerca de um ano. Agora desejo chamar-vos a atenção para o fato de que com o derramamento da primeira praga, terá para sempre passado a oportunidade de arrependimento, confissão e perdão dos pecados. A porta da salvação estará então para sempre fechada ao ímpio. Para melhor compreensão desta solene verdade, procurarei explicar brevemente como se processa nas cortes do Céu a salvação de um pecador. Isto é descrito nos seguintes textos: (Apoc. 8:3 e 4) Analisemos brevemente esta revelação a um tempo importante e terrível. Quando o Espírito de Deus convence o pecador dos seus erros e violações da lei de Deus, ele pela fé eleva a Deus sua oração e confissão. Seu único intercessor, Jesus Cristo, ministra em seu favor no santuário celestial. Orações de confissão e de louvor são recebidas no santuário celestial, e levadas através do perfume do incenso ao trono de Deus o Pai. Ele está rodeado por santos anjos, que se deleitam em cooperar para salvar os homens do pecado. Assim o altar celestial e o incensário são instrumentos na salvação do homem. O fogo sobre o altar, de acordo com Isaías 6:6 e 7, significa completo perdão e aniquilamento de todo pecado confessado, Maravilhoso! Como o fogo destrói e consome tudo, assim Jesus trata com nossas transgressões.

De acordo com esta profecia, que acontecerá quando as sete pragas forem derramadas sobre o mundo? Notem (Apoc. 8:5) Parafraseando este texto, quando o tempo da graça divina terminar para a humanidade, os instrumentos usados pelos anjos para receber a confissão e petições de auxílio será lançados sobre a Terra, como sinal do fim da intercessão de Cristo em favor do homem. E este ato será testificado sobre a Terra com trovões, relâmpagos e terremotos. Simultaneamente será fechado o santo templo de Deus durante a execução das pragas. Cito a seguinte passagem: (Apoc. 15: 8) Sim, nenhum dos seres celestiais poderá permanecer no templo a fim de interceder pelo homem, porque o templo se encherá "com o fumo da glória de Deus". Isto será durante o derramamento da ira nas sete pragas. Tal fato indica que ninguém estará no templo nesse tempo para interceder pelos pecadores. Assim, os que sinceramente procuram a salvação, devem buscar a Deus antes que finde o tempo da graça. O derramamento da primeira salva com sua praga determinará para sempre o fim da obra da igreja cristã, que é a salvação dos homens.

A Primeira Praga

Consideremos agora a natureza da primeira praga que será derramada inesperadamente sobre a Terra: (Apoc. 16:1 e 2) O original grego, língua em que o Novo Testamento foi escrito, diz que houve unta chaga "má e maligna" que cobria a pele dos que tinham o sinal da besta. Parece ser alguma espécie de câncer da pele. Esta praga não deverá cair sobre toda a humanidade, mas somente sobre os que têm "o sinal da besta," e a adoram. A besta é o símbolo de um sistema religioso que tem enganado grandes massas da humanidade quanto à verdade do evangelho. Assim esta praga cairá especialmente sobre as nações onde esta crença é a religião básica estabelecida. Noutra oportunidade nós identificaremos a besta mediante uma profecia de Apocalipse que se encontra no capítulo 13. Quantos desejam conhecê-la? Sim, será o mais fascinante estudo do livro do Apocalipse.

A Segunda Praga:

Leiamos a descrição da segunda praga: (Apoc. 16:3) Como vimos, a primeira praga será derramada na Terra, mas a segunda no mar. Parece que toda a vida desaparecerá do mar. Isto trará grandes problemas às nações cuja subsistência depende do mar. Ela ameaçará também a indústria de navegação com seu lucrativo negócio. A segunda praga será um terrível juízo sobre os que rejeitaram a graça divina.

A Terceira Praga

A seguir, o terceiro anjo derrama a sua taça : (Apoc. 16:4-7) Esta praga é derramada sobre os rios e as fontes das águas. Ela afetará os que antes do fim do mundo vão perseguir e oprimir a igreja e seus membros que guardam os mandamentos de Deus. Noutra profecia que breve consideraremos, será revelado quem serão os campeões na perseguição aos santos. Procurem estar presentes quando apresentarmos esta profecia. Sim, pouco antes do fim de nossa era atômica, os filhos de Deus, que estão se preparando para a Volta de Cristo a este mundo, serão objeto de ódio, perseguidos terrivelmente pelos desprezadores da verdade da Bíblia. A democracia logo desaparecerá juntamente com a liberdade religiosa. Mas o anjo derramará sua salva contendo a ira de Deus, sobre os que perseguiram Seus indefesos filhos. Estes preferiram a morte antes que negar sua fé em Cristo.

Onde quer que os inimigos de Deus forem então, não encontrarão água para saciar sua sede. A água será mudada em sangue, porque são culpados de derramar sangue inocente. Ai dos que ousarem perseguir os santos! O observador de questões religiosas pode ver desde já como corto poder religioso, ajudado pelos governos, procederá. Ele se tornará intolerante, perseguidor dos que fazem aquilo que a Santa Bíblia ensina – a Santa Bíblia que é a única autoridade do homem em matéria de fé. Isto acontecerá, porque a profecia não falha nem pode falhar. .

A Quarta Praga

Segue-se o quarto anjo com a sua salva: (Apoc. 16:8 e 9) A quarta praga será derramada sobre o Sol. Ela produzirá intenso calor, muito maior que o que se poderá ter sentido em qualquer tempo. O calor será tão intenso, que os homens blasfemarão o nome de Deus, em vez de se arrependerem. Mas agora não se podem arrepender porque o Espírito de Deus foi tirado da Terra. O templo celestial está fechado. Não haverá mais intercessão pelos pecadores. Oh, que terrível dia! Notem o que o profeta Joel disse 700 anos antes de Cristo, com referência à quarta praga: (Joel 1:15) Este profeta escreve sobre os acontecimentos que terão lugar justo antes da Segunda Vinda de nosso Senhor. Leio: (Joel 1:16-20) Durante o último ano da História do mundo não haverá vegetação. As nações estarão perplexas sem saber como alimentar o seu povo. Até os animais morrerão por falte de água e pastagens. A quarta praga será terrível. Em vista do que irá acontecer durante a quarta praga conforme a profecia, a verdadeira igreja de Deus tem um dever a cumprir. Ouçam o seguinte verso de Joel: "Tocai a buzina em Sião." Joel 2:1. A palavra "Sião" vem do original hebreu e significa "igreja." Portanto, tocar a buzina em Sião significa "proclamar nas igrejas." Mas proclamar o quê? (Joel 2:1.) Oh, meus amigos, sabendo que este dia está perto, os santos que possuem a verdade de Deus devem dar o alarma, devem despertar e agitar o povo. Esta a razão por que estou falando esta noite com o fervor nascido de minha responsabilidade perante Deus. As sete pragas serão derramadas, embora alguns sustentem que isto não acontecerá. As pessoas podem rejeitar o livro do Apocalipse, mas as pragas serão derramadas da mesma forma, e os incrédulos sofrerão as conseqüências de sua obstinada atitude, a menos que se arrependam. Não faz muito estive no nordeste, onde não chovia havia três anos. Toda a região estava ressequida como um deserto. Milhares de pessoas haviam emigrado para as selvas amazônicas. Poços de águas que com seis a nove pés davam abundante líquido, agora não jorravam água nem com 300 pés da profundidade. O povo não podia lavar-se, e nem mesmo barbear-se. A água estava em alto preço. Viajei de carro por algumas dessas regiões. Dada a estiagem, éramos envolvidos por uma nuvem de poeira, e não podíamos ver a estrada. No fim da viagem estivamos literalmente cobertos de pó. Ao testemunhar tudo isto, eu disse a mim mesmo: "Isto nos dá uma pequena idéia do que acontecerá no mundo como resultado da quarta praia." Deus permite agora essas estiagens parciais em muitas terras, para advertir os habitantes do mundo sobre sua próxima condenação. Por este meio está Ele convidando os homens para se arrependerem antes que seja demasiado tarde.

A Quinta Praga

Vemos a seguir a cena do anjo trazendo a quinta praga. Cito o verso de Apocalipse: (Apoc. 16:10 e 11) Vocês estão lembrados de que a terceira praga afetou os que tinham o sinal da besta e a adoravam. A quinta praga transforma em trevas o reino espiritual da besta. Agora este poder religioso é visto em completas trevas da ignorância e erro, não possuindo o menor raio de luz. O reino da besta é levado então a fatal confusão. Demasiado tarde seus milhões de seguidores vêem seu grande engano. Criam ser a verdade mentira e a mentira verdade. Agora seus líderes mordem "as suas línguas de dor."

A Sexta Praga

A sexta praga nos interessa de maneira especial. Ela revela que neste tempo atividades desorganizadas da civilização estavam ainda na ordem do dia. Leiamos a predição: (Apoc. 16:12-14) Aqui nos é dito que sob a sexta praga o rio Eufrates se secará. Isto será uma guerra total entre as nações do Oriente e o resto do mundo, guerra chamada no Apocalipse "batalha do Deus Todo-Poderoso," ou guerra do "Armagedom." Não é necessário que o rio Eufrates se seque literalmente para que produza tal catástrofe. Isto deve ter um significado simbólico e precisa ser decifrado pelo processo das Sagradas Escrituras. Apocalipse 17 dá-nos a interpretação: (Apoc. 17:15) De acordo com este texto, as nações banhadas pelo Eufrates se secarão, ou desaparecerão sob a violência das ondas da ação de uma nação mais poderosa ou um bloco de nações. Estas as conquistarão e anexarão o seu território. As nações banhadas por este rio são o Irã, o Iraque, a Turquia, a Síria, a Transjordânia, a Arábia Saudita e o Yemen. Todas estas nações são banhadas pelo rio Eufrates, e umas mais que outras. Portanto, parece que as nações do Oriente Médio serão a causa de uma guerra mundial de que nenhuma nação será poupada. Será uma guerra total. Ora, consideremos estas nações do Eufrates chamadas Iraque e Irã. Não é certo que as mais ricas jazidas de petróleo estão localizadas ali? Os países do Ocidente, bem como os do Oriente, sabem que aquele que tiver acesso aos poços do óleo negro, ganharão a futura guerra. Este o motivo das guerra internas e externas nesses países. Todo armamento de guerra, inclusive navios e aviões, é propelido pelo petróleo, e somente as nações que possuírem este cobiçado combustível alcançarão a vitória. Agora, meus amigos, consideremos também o ódio e as dificuldades entre a república de Israel e seus vizinhos, as nações árabes. A tensão racial e política que existe entre eles pode resultar em tremenda explosão política que leva ao secamento figurado do Eufrates. Em terceiro lugar, alguma grande potência desejará controlar o Mar Morto. Os cientistas afirmam que este mar contém cerca de uma centena de diferentes elementos químicos. Especialistas em finanças declaram que a riqueza do Mar Morto é duas vezes e três quartos maior que a dos Estados Unidos. O Mar Morto contém potássio, metal muito cobiçado em nossos dias em virtude de seus múltiplos usos. Seu valor é de 23 bilhões de libras esterlinas. O bromo que ele contém é estimado em 86 milhões de libras; o sal em 15 milhões; o basalto em 4 milhões, etc. Consideremos o Oriente formando um bloco de nações maior que o Ocidente. A China tem quase 500 milhões de habitantes, ou seja aproximadamente um quinto da população do mundo, e neste momento está aliada à mais poderosa nação do Oriente. Quando essas massas humanas puderem ser bem armadas, imaginai o que poderá acontecer! Em 1811 Napoleão dissera: "A China está dormindo; deixemo-la dormir! Somente Deus sabe o que acontecerá se ela despertar." E meus amigos, a China hoje está esfregando os olhos. Ela está despertando; está pedindo ajuda a seus aliados, outras nações do Oriente estão prestes a se unir a este poderoso bloco. Que será o contra-ataque lo mundo ocidental? Não faz muito um grande estadista se expressou da seguinte maneira: "Nenhum de nós deseja um choque entre o materialismo e o cristianismo, e no entanto somos forçados contra nossa vontade, a este morticínio que bem poderia significar o aniquilamento da civilização." E aduziu: "Toda pessoa sensível ao atual desenvolvimento político tem de chegar à conclusão de que deve haver forças demoníacas, poderes sobrenaturais do mal, acirrando o mundo contra si mesmo." Ninguém deseja a guerra. Não é verdade? Não obstante, é como se os demônios estivessem impelindo o mundo para a destruição de nossa civilização. Não podemos descrever a situação de maneira adequada quando dizemos que a maldade de uns poucos está atraindo sobre nós esta calamidade. Não podemos explicar isto dizendo simplesmente que a causa são os problemas econômicos insolúveis. Sentimos simplesmente o impacto de invisíveis e sobrenaturais poderes usando os homens maus para que provoquem a futura guerra do Armagedom. São eles "espíritos de demônios," revelam as Escrituras nesta profecia. Quantos se reunirão para esta guerra? Os jornais discutem tanto este ponto que já nos sentimos cansados dele. Qual será o resultado de todas essas conferências internacionais? A futura batalha do Armagedom é inevitável. As Escrituras dizem que um inevitável conflito é o que constitui a sexta praga. Pode o homem mudar o destino do mundo? Pode ele evitar o choque de todas as nações do mundo? Por que não o pode fazer? Porque está profetizado! A profecia do Apocalipse diz : "E os congregaram no lugar que em hebreu se chama Armagedom." Nem a História, nem a Arqueologia puderam até então encontrar um lugar chamado Armagedom. Esta é uma palavra composta de origem hebraica. Sua tradução literal significa "monte da matança," ou mais exatamente, "monte das cabeças cortadas," o que sugere que a batalha do Armagedom, chamada batalha do Deus Todo-Poderoso, será uma terrível mortandade. Milhões morrerão pelo efeito de bombas de hidrogênio, e multidões serão atingidas por foguetes. Nota: esta predição concernente à atitude mental das nações neste momento supremo. Leio em Apocalipse: (Apoc. 11:18) Nunca na História desde a II Guerra Mundial as nações estiveram tão iradas entre si. Nos debates da ONU os insultos estão na ordem do dia. Prezados amigos, esta profecia está sendo cumprida ante nossos olhos. Quando deus interfere para dar a recompensa aos santos e o juízo aos ímpios, as nações se iram Ora, notem isto, eles estarão ocupados, destruindo a Terra. Se Deus não interferir no curso desta última guerra, os homens destruirão todo o mundo. Quão literalmente esta predição se aplica a nossos dias!

Um Chamado para Vigiar

As Escrituras dizem: "Bem-aventurado o que vigia." Podemos ver de longe os preparativos sendo feitos nos gabinetes de guerra das nações para a sexta praga. Este é nosso tempo de vigília e preparação! Com o derramamento da sexta praga, que virá como ladrão de noite, não haverá mais salvação para nós. Portanto, os que estão esperando pelo Armagedom para depois se arrependerem, enquanto desfrutam agora os prazeres do mundo, estarão perdidos. Assim, que nos importa fazer? A profecia nos diz claramente: (Apoc. 16:15) Isto significa viver sem mancha de pecado, de maneira que nenhum mal seja visto em nós. Devemos orar pela purificação de nossos pecados no sangue de Cristo. O Senhor disse que viria como ladrão de noite, isto é, inesperadamente. Talvez algum dia, ao despertar, vejamos os efeitos da primeira praga, e então o tempo da graça estará terminado, e as pragas preditas nesta profecia serão derramadas, uma após outra.

A Sétima Praga

E agora, qual será a sétima praga? Leiamos: (Apoc. 16:17-21) Quando se ouvir o "está feito," todas as coisas terão chegado ao fim, porque depois do derramamento das sete pragas o próprio Deus toma a direção. Haverá um grande terremoto e os grandes edifícios cairão, e as grandes cidades serão demolidas, serão sacudidas as ilhas e as montanhas desaparecerão quando o Criador do Universo, acompanhado de Seus santos anjos Se aproximar. Seguir-se-á uma grande saraiva de pedras com o peso de um talento, ou seja o peso aproximado de 35 quilos. Esses projéteis superam nossa imaginação, mas lembrem-se de que são preparados nos laboratórios do Céu.

Agora Deus manifesta Seu poderoso arsenal de destruição. As nuvens são afastadas com a Vinda de Cristo, e grandes blocos de gelo caem sobre a humanidade ímpia. Os homens clamam aterrorizados, mas é demasiado tarde, pois desafiaram o Santo Espírito de Deus, quando Este procurou salvá-los. Quão terrível será esta cena!


Os Efeitos da Gloriosa Vinda de Cristo

S. João descreve de forma dramática numa visão profética a atitude de indiferença e incredulidade dos pecadores ao fim da sétima praga: (Apoc. 6:14-17) Quer se trate de ditador, príncipe ou milionário, ninguém se salvará Nesse dia os homens de toda e qualquer categoria pedirão aos montes e aos rochedos que caiam sobre eles e os sepultem. Alguns apreciariam esconder-se nos altos refúgios que estão sendo construídos para a guerra atômica. Mas terão que ver a glória do Salvador e Juiz do mundo. Os que nunca oraram pelo perdão dos pecados, agora clamarão : "Rochedos, caí sobre nós!" Oh! Oh, sim, preferirão ser sepultadas sob as montanhas a contemplar a glória de Cristo! Graças a Deus, meus amigos, que nesse tempo outra cena se abrirá aos fiéis filhos de Deus. Setecentos e cinqüenta anos antes da era cristã, o profeta Isaías contemplou em visão a proteção que o maravilhoso Deus dispensaria a Seus fiéis durante o derramamento das sete pragas. Leiamos sobre este fato: (Isa. 33:14-17) Enquanto os hipócritas estão assombrados, os justos serão protegidos entre as rochas durante o derramamento das pragas. O próprio Deus lhes proverá alimento. Não é esta uma confortante promessa? Assim enquanto os ímpios estão sofrendo as conseqüências de sua rejeição da verdade de Deus, os fiéis serão protegidos. Jeremias profetizou em torno do ano 1.600 A. C. Ele viu o povo que estaria vivendo no tempo das pragas lançar os seus deuses de ouro e prata longe de si, procurando encontrar o perdão e a proteção de Deus. Mas a sua riqueza e o seu poder de nada lhes valerão; a única coisa que vale nesse dia é uma vida cristã nobre e pura. Quanto o "fogo devorador" ou as "labaredas eternas" aparecerem, os santos verão a beleza do Senhor dos senhores. Eles "verão a terra que está longe," isto é, Céu e Nova Terra, onde não mais haverá injustiça, dor ou morte. Os santos de Deus exclamarão de gozo, dizendo: (Isa. 25:9) Prezados amigos, que ouvem minha solene mensagem esta noite, em que grupo vocês esperam estar incluídos? Cada um pessoalmente terá de decidir se estará entre os que pedirão às rochas que caiam sobre eles, para escondê-los da presença do Rei dos reis, ou entre os que serão protegidos pelas rochas e que dirão: "Este é o Senhor a quem aguardávamos."

Conclusão

Em conclusão desejo lhes contar um episódio que teve lugar pouco antes do advento do automóvel. Nesse tempo eslava em uso uma carruagem leve de duas rodas e tração animal, chamada "aranha." (O que chamamos de charrete.) Um dia um homem fez uma viagem em sua aranha a uma cidade vizinha a fim de liquidar algum negócio. Ao retornar, o cavalo se assustou com uma folha de jornal, e pôs-se a correr pela principal rua da cidade. O homem esperava ser lançado fora da aranha a qualquer momento. O povo se aglomerou nas calçadas, ansioso pelo desfecho a pela salvação do homem. Mais abaixo na rua um cidadão viu o que acontecia e disse a si mesmo: "Vou arriscar minha vida para salvar este homem." Calculando a velocidade do animal e o momento preciso em que devia atirar-se à rua, conseguiu segurar a rédea e deter o animal, salvando aquele homem. Esqueçamos esta cena por um momento, e consideremos outra que teve lugar uns dez anos mais tarde. Vemos este mesmo homem chamado a juízo. O juiz deu o veredito do júri que sentenciava o homem a morrer na forca por causa de um crime premeditado. O juiz pergunta ao homem se ele tem alguma coisa a dizer em sua defesa. O homem olhava para o juiz, procurando lembrar-se de algo, mas não conseguia. Então, de súbito, ele exclamou: – O Senhor se lembra de mim? – Não, não o reconheço – disse o juiz. – Meritíssimo, o Senhor não pode lembrar-se de mim? O juiz repetiu que não, e o sentenciado acrescentou: – Não se lembra há 10 anos atrás, quando o meu cavalo se espantou e saiu em disparada rua abaixo e o senhor salvou-me a vida? O juiz olhou para de, e quando o sentenciado compreendeu que o juiz o havia reconhecido, suplicou cheio de esperança: – Oh, meritíssimo, salva-me outra vez. Salva-me hoje! Mas o juiz replicou: – Há dez anos atrás eu era o seu salvador, mas hoje sou o seu juiz. A sentença permanece e o senhor será executado. Meus amigos, a lição é óbvia. Cristo, nosso Senhor é nosso Salvador hoje! Hoje Ele está pronto a nos aceitar com todos os nossos pecados. Não importa quão baixo tenhamos caído. Vamos Lhe dizer esta noite: "Pai celestial, eu quero o Teu perdão. De agora em diante desejo viver uma vida cristã, em harmonia com a Tua vontade." Sim, amanhã poderá ser demasiado tarde. Aquele que hoje é nosso Salvador será nosso juiz amanhã. Logo o tempo de graça terminará para sempre. Este terrível dia virá inesperadamente, como um ladrão. Aquele que ainda, é nosso Salvador e Sumo Sacerdote, que ainda intercede por nós no lugar santíssimo do Céu, Se tornará nosso Juiz. Cada um será julgado então segundo suas obras. De que lado você deseja estar naquele dia? Este é um solene pensamento!

Meus amigos, quantos desejam receber a Jesus quando Ele voltar? Quantos desejam suplicar Sua misericórdia para perdão de todos os seus pecados? Podem vir a Ele agora em absoluta confiança, pois Ele ainda é nosso amorável Salvador. Não esperem até que Ele tenha que lhes condenar como seu juiz.


Schubert

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória