Wikia

Mensageiros de Esperança Wiki

A IMPORTÂNCIA DO PERDÃO NA CONVIVÊNCIA

Comentários0
2 272 pages em
Este wiki

5943 583009335057322 881326171 n.jpg
Texto Bíblico: Mateus 18: 21 e 22

INTRODUÇÃO Após o pecado, viver em sociedade passou a representar um risco. (conviver passou a representar um perigo)
Em sociedade tornamo-nos vulneráveis. (as pessoas ficam conhecendo nossas qualidades e virtudes, mas, também, nossas manias e defeitos)
Às vezes somos mal interpretados, julgados, caluniados, discriminados e maltratados.
(às vezes por alguém de fora, às vezes por alguém de nossa própria família ou de nosso entorno social)
Creio que foi por isso que Deus criou o perdão. (o perdão promove nossa reconciliação com Deus e com o próximo)
Mas o perdão continua sendo uma matéria pouco conhecida e pouco praticada.

I. O QUE É O PERDÃO? Antes de responder essa pergunta precisamos responder outra.
O que é o perdão para Quem? Para Deus ou para o homem?
O perdão para Deus é um ato. (o pecador que se curva diante de Deus e arrependido confessa o seu pecado com sinceridade, levanta-se perdoado)
Uma escritora alemã ilustrou o perdão de Deus dizendo: “Deus pega nossos pecados, joga nas profundezas do mar e depois coloca uma plaquinha dizendo: é proibido pescar”.
O perdão para o homem é um processo que raramente é iniciado logo após a ofensa.
E é justamente por isso que vivemos sofrendo com tantos ressentimentos.
O perdão sempre foi difícil de ser praticado por que também é difícil de ser entendido.
Pedro entendeu que o perdão era quantitativo, Jesus disse que o perdão era qualitativo.
Algumas pessoas pensam que só Deus precisa perdoar.
Outras pessoas pensam que se perdoar não fará justiça.
Há ainda aqueles que pensam que perdoar é esquecer.
E ainda há aqueles que pensam que perdoar é fazer um favor para alguém que não merece.
E por fim há aqueles que pensam que o ofensor não merece o seu perdão porque a ofensa foi muito grave.
Primeiro, perdoar não é fazer favor para alguém, é fazer um favor para si mesmo.
Perdoar não é um ato de injustiça, mas, o maior ato de justiça.
Segundo, ninguém nunca nos ofendeu como nós ofendemos a Deus, e Ele nos perdoa sempre que pedimos seu perdão com sinceridade.
Portanto, perdoar não é fazer um favor é nossa obrigação. (todos nós precisamos perdoar)
O perdão é uma matéria que precisamos aprender e praticar.
Na escola da vida todo aluno tem que tirar nota máxima na matéria do perdão para não ser reprovado por Deus.
Perdoar não é esquecer, porque esquecer não depende de uma simples decisão humana.
Mas, quando iniciamos o processo do perdão separamos a ofensa do ofensor.
É como se tivéssemos num mesmo quadro de giz a presença da ofensa e do ofensor, e quando iniciamos o processo do perdão vamos distanciando a ofensa do ofensor.
Outra coisa não muito simples de dizer é que para Deus o perdão é um ponto de Salvação.
Podemos entender isso lendo a oração do Pai Nosso. (Mateus 6: 12)
O “Não Perdão” é um segundo pecado imperdoável.
Por uma razão óbvia, se não perdoarmos o nosso próximo não seremos perdoados por Deus. (sem o perdão de Deus estamos perdidos)

II. O QUE NÃO É O PERDÃO? O perdão não é uma desculpa para continuarmos no erro.
Não é um salvo conduto que nos garante imunidade contra o pecado ou a ofensa.
O perdão não nos dá o direito de guardar ressentimento.
Sobre ressentimento lembro-me de uma frase que diz: “Ressentimento é um veneno que alguém toma esperando que outra morra”.
Precisamos reconhecer que existem várias doenças psicossomáticas e que guardar ressentimentos é um fator de risco.
O perdão não é um via de mão única.
Na condição de ofendido as vezes ficamos muitos anos esperando o pedido de perdão do ofensor.
Julgamos que aquele que nos ofendeu tem a obrigação de nos pedir perdão.
Na prática não deve ser assim, o ofendido também deve tomar a iniciativa da reconciliação.
Jesus nos deu esse exemplo na cruz. (Lucas 23: 34)
Perdoar não é fácil.
Todo ato de perdão exige humildade, renuncia e fé.
A cruz é o monumento do perdão. (quanto mais longe da cruz mais difícil é perdoar)
Mas, se existe um momento em que mais nos parecemos com Deus esse momento é quando perdoamos alguém que nos ofendeu.
A ofensa nos afasta das pessoas o perdão nos reaproxima.
Algumas pessoas confundem reaproximação com reconciliação.
Reconciliação é trazer o ofensor de volta a antiga convivência.
Nem sempre isso é possível. (primeiro, porque isso não depende só de você – segundo, por que as vezes isso não é conveniente)

CONCLUSÃO O melhor que precisamos aprender sobre o perdão é que não devemos magoar ou ofender ninguém.
Mas, se isso acontecer, devemos nos empenhar para expressar nosso arrependimento.
Ouvi alguém dizer certa vez essa pequena frase: “Perdoar é devolver ao outro o direito de ser feliz”
Não quero contestá-la, mas creio que perdoar é também devolver a si mesmo o direito de ser feliz.
Como cristãos devemos desenvolver uma atitude perdoadora.

APELO Se você é ofendido ou o ofensor e está nos ouvindo nessa hora, tome a decisão mais coerente que existe, perdoe.
Eu nem posso imaginar quem é o seu ofensor, nem qual foi à sua ofensa.
Seu ofensor pode ser alguém de sua própria família ou alguém de fora.
Você pode ter sido vítima de uma ofensa simples ou de grande ofensa.
Mas, creia, isso não é o mais importante agora, o que realmente importa agora é a sua paz, é a sua qualidade de vida e a sua relação com Deus.
Inicie o processo do perdão agora dizendo a Deus em oração: Senhor eu estou disposto a perdoar fulano.
Pronto, você voltou a ser livre. (Agora confie no Espírito Santo, Ele vai te ajudar a dar os passos seguintes para confirmar essa decisão)
Parabéns! Agora vejo quanto você se parece com Deus.

As duas perguntas para você interagir agora são:
• Por que perdoar é tão difícil?
• O que você mais apreciou sobre esse tema?

IASD

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória