FANDOM


Sexomitoseverdades-300x200.jpg




Sexo, sexo,sexo!

Vemos Sexo em toda parte!

Se olharmos para os lados, se pra cima se pra baixo, sexo quando ligamos a TV! Quando abrimos revistas, não escapam nem os jornais!

Na minha época de garoto, quando os meninos queriam ver mulher nua, tinham que esconder as revistas para os pais não encontrarem. Hoje em dia meninos, meninas, pais e filhos assistem a tudo isso, juntos em todos os lugares! Mesmo que não queiram!

É o mundo super erotizado em que vivemos!

Revistas escrevem dicas, falam sobre falhar na hora H, sobre mulheres que conseguem fazer sexo sem amor e sem compromisso.

Sobre como usar os amigos para satisfazer seus desejos quando não querem se comprometer. Novelas mostram mulheres e homens que parecem sempre estarem dispostos sexualmente. Programas de TV proliferam ao redor, em baixo e em cima de camas!

Aí quando as luzes se apagam e você olha pra você mesmo, para a realidade da vida, dá a impressão que você é o único que não está vivendo no frenesi do sexo 24 Horas! Muitos perguntam: Que há de errado comigo? Outros, pra piorar ainda mais a questão perguntam: Que há de errado com a minha esposa? Com o meu marido?

Quem está errado?

Nós continuamos no Programa Está Escrito, com a nossa série especial sobre Relacionamentos e hoje será o ultimo programa da série. Temos o prazer de ter hoje não só a participação do Dr. César Vasconcellos, que tem sido o nosso grande convidado, mas temos aqui na nossa sala de visitas do Está Escrito, este simpático casal, os nossos amigos: o Élcio e a Patrícia.

Entrevista:

Pr. Fernando: Bem vindos ao Está Escrito!

Élcio e Patrícia: Obrigado (a)

Pr. Fernando: Élcio para que as pessoas possam conhecer vocês melhor, qual é a sua profissão? O que você faz hoje?

Élcio: Eu trabalho com informática atualmente.

Pr. Fernando: Com informática e a Patrícia?

Patrícia: Eu trabalho com direitos autorais.

Pr. Fernando: E vocês são casados á quanto tempo?

Élcio: Há sete anos e meio.

Pr. Fernando: Qual foi o dia do casamento de vocês?

Patrícia: 7 de julho de 1996

Pr. Fernando: Vocês têm filhos?

Élcio: Uma filhinha.

Pr.Fernando: Qual o nome dela?

Patrícia: Letícia

Pr. Fernando: E ela puxou o papai ou a mamãe?

Patrícia: A gente costuma dizer que ela tem a cara do pai com a beleza da mãe! Mas ela puxou os dois!

Pr. Fernando: Hoje a gente encontra na mídia uma supervalorização da sexualidade e olhando esta supervalorização à gente pode talvez viver num mundo irreal. Então muitos jovens, muitos recém casados pensam assim: A sexualidade é a coisa mais importante de um casamento! E se eu estiver bem sexualmente estou preparado para ser feliz no casamento. Então por isso o Élcio e a Patrícia estão aqui hoje pra responder a esta primeira pergunta: Que percentual de importância tem o relacionamento sexual dentro do casamento? Quero ouvir primeiro o Élcio. O sexo é importante? Dá pra estabelecer um percentual? Ele é o mais importante? Como é que funciona isso?

Élcio: Bem Pr. Fernando, eu não colocaria em percentual a importância do sexo no casamento. Eu colocaria que: tudo tem lugar dentro do casamento. Você não vive só de sexo, de manhã, de tarde e a noite. Você vive a sua vida como um todo. Já dizia Salomão pra tudo há seu tempo (Eclesiastes 3:1). O que importa mesmo é a sintonia que o casal encontra dentro das atividades que são exercidas no casamento. Então você tem inúmeros afazeres durante a sua vida de casados. E você encontrando a sintonia é o que importa. Então tem o tempo pra Deus, tem tempo pra sexualidade, tem tempo pro trabalho, tem tempo pros filhos, tem tempo pra tudo…

Pr. Fernando: Bem o homem e a mulher são diferentes não é? Patrícia o que você acha?

Patrícia: Eu concordo com meu esposo quando ele diz que não dá pra se estabelecer um percentual da importância da sexualidade no casamento. Ela é importante sem dúvida nenhuma, mas existem outras coisas importantes no casamento como: o carinho, a atenção, comunicação entre marido e mulher, a atenção para os filhos, o seu relacionamento diário com Deus. No meu ponto de vista o relacionamento sexual, a relação sexual em si, ela vai complementar o casamento. Infelizmente muitos acreditam que o relacionamento sexual é à base do casamento. Mas nós sabemos que não. Se não tiver todos estes outros aspectos também supridos dentro de um casamento, nós não podemos dizer que só com o relacionamento sexual será um casamento feliz.

Pr. Fernando: Então eu quero convidar vocês e o Dr. César Vasconcellos que está acompanhando o nosso programa. Bem o senhor estava ouvindo aqui a nossa conversa, os comentários, em sua opinião, justamente o senhor que trabalha nessa área com casais e relacionamentos. Existe um percentual de importância da sexualidade no relacionamento conjugal, marido e esposa, dentro do casamento?

Dr. César: Olha, eu começo a responder esta questão com uma outra questão: Qual casamento? Existem casamentos que são mais sexualizados, genitalmente falando, e existem casamentos menos sexualizados. Porque cada pessoa é uma pessoa. Eu poderia fazer uma comparação: Tem muitos casamentos que precisa ter equilíbrio vamos dizer: Tem o Amor-mucosa, o Amor-pele e o Amor-idéias.

O Amor-idéias: é quando o casal troca idéias, gosta de conversar entre si, tem um papo agradável, eles se agradam nisso.

O Amor-mucosa: é a relação sexual em si.

O Amor-pele: é quando há entre o casal o toque afetivo, o toque físico, o carinho, sem o sexo, que é uma necessidade pra se desenvolver a intimidade afetiva.

Então tem casais que dentre esses três itens, tem mais acentuado mais um desses itens. Alguns são mais conversadores gostam mais de conversar, trocar idéias, enfim. Outros são mais sexualizados, gostam mais de ter relações sexuais com mais freqüência. E outros são casais afetivos, mais afetuosos, mais pele com pele, e que não necessariamente leva obrigatoriamente a ter uma relação sexual. Então nos casais que tem grande importância a relação sexual você pode colocar uma porcentagem alta de necessidade de relações sexuais neste casamento. Se for um casal que funciona mais encima de uma relação de pensamentos, de troca de idéias você vai ter muito menos necessidade pra que este casamento funcione bem de relacionamentos sexuais. Então é difícil você estabelecer uma porcentagem de onde entra x por cento de sexualidade pra este casamento poder se dar bem. Depende do tipo de relacionamento e de cada pessoa que está casado ali, ok?

Pr. Fernando: Dr. César é muito interessante isso que o senhor está falando, e eu vou pedir licença pro senhor pra continuar conversando com a Patrícia e com o Élcio.

O que o Dr. César falou é mais ou menos o que vocês falaram também, ele fala na experiência dele como profissional (psiquiatra) e vocês na sua experiência como casal. Ele falou de três aspectos: Contato sexual, contato de idéias e o contato pele que é o contato de carinho, mas sem a necessidade de relação sexual. Ele disse que varia de casal para casal. Mas como nós estamos falando de relacionamento, qual é a minha preocupação? Bem a nossa preocupação é que: Hoje em dia a mídia estabelece a sexualidade como à coisa mais importante do mundo. Outro dia eu estava passando na rua e vi um outdoor de uma campanha para doação de sangue e ali tinha uma mulher completamente nua, apenas cobrindo as suas partes genitais, porque eles não podem mostrar, e falando pra doar sangue.

Isso não tem nada a ver uma coisa com a outra. E fiquei pensando: Será que o anunciante pensou: Ah! Temos que fazer algo que chame a atenção, para então as pessoas doarem sangue. Tudo gira em torno do sexo. E a mídia faz uma propaganda excessiva em cima disso, filmes, novelas, etc. E o que eu quero perguntar pra vocês é:

- Nessas encenações, na arte hoje, as mulheres parecem sempre dispostas a terem relações sexuais, os homens também, eles mostram aqueles perfis perfeitos, acontece que na vida a coisa é diferente, na própria vida da gente, a pessoa não vai estar sempre disposta. Como vocês vêem esta cobrança? Porque o esposo acaba dizendo: Eu gostaria de ter uma esposa igual aquela! Sempre disposta! E ela por sua vez também pensa: Ah! Como eu gostaria que o meu marido fosse assim!

Fica então aquela comparação, uma fantasia. Você se sente cobrada pela mídia Patrícia? Como você se sente em relação a isso?

Patrícia: Como nós estamos falando de mídia, o que acontece na mídia não é o real. A pessoa que está sempre disposta na mídia, ela está disposta porque ela está gravando, representando. Então com certeza ela tem que estar disposta porque aquele é o papel dela. E é muito ruim se nós formos basear o nosso relacionamento familiar no que está sendo divulgado. É claro que nós não vamos estar dispostas o dia todo, todos os dias da semana, todos os dias do mês. Você trabalha, você tem os filhos, você tem a sua carga de responsabilidade. E Deus deixou pra nós uma responsabilidade muito grande no relacionamento, com relação ao respeito. Ele diz que as mulheres e os homens devem se submeter aos seus maridos e as suas esposas. Os seus maridos também têm que respeitar as suas esposas. E onde estaria o nosso respeito se nós fossemos cobrar o nosso cônjuge com aquilo que é passado na mídia? Como nós vamos respeitar se ele está cansado devido ao trabalho dele? Se aquele não é o momento ideal pra se ter um relacionamento sexual? Então o respeito é muito importante. Vamos até no ponto que nós deveríamos deixar de ver tanto o que acontece na mídia e vamos parar pra ver o que Deus tem falado pra gente. A Bíblia nos traz qual é o modelo ideal de relacionamento familiar. Infelizmente a mídia está aí pra deturpar totalmente o que Deus quer realmente de cada ser humano.

Pr. Fernando: Muito bom o que você falou Patrícia! Bom eu estava ouvindo a sua resposta, e analisando tudo o que você falou, muito conteúdo, fantástico o que você falou! Mas o que será que está pensando quem está lendo esta palestra do Programa Está Escrito? Porque você cita bastante a Bíblia, agente sabe que vocês são um casal cristão. Élcio quero perguntar pra você: Talvez as pessoas podem pensar que vocês são um casal tão formal, são tão diferentes de todo mundo. Dá a impressão que você é daqueles que chega assim e diz: Querida esposa você me permite beijar-lhe a face? Vocês são um casal jovem, vocês brincam? Vocês têm um relacionamento normal? Vocês namoram? Como é o dia a dia de vocês?

Élcio: Pode até não parecer, mas nós somos pessoas normais.

Pr. Fernando: Sim vocês são normais, mas agente quer deixar para as pessoas realmente essa impressão!

Élcio: As pessoas que nos conhecem que estão assistindo agente neste momento eles vão dizer assim olha lá o Élcio e a Patrícia na televisão! Mas, nós somos realmente pessoas normais, a gente vai ao parque, levamos nossa filha ao parquinho pra brincar. A gente assiste televisão. A gente lê a Bíblia, a gente faz tudo o que as pessoas normais fazem. Agora o que nós não fazemos é nos fixar nos estereótipos que a TV e a mídia em geral cria como sendo o padrão, como sendo o objetivo para as pessoas.

Pr. Fernando: Vocês namoram?

Patrícia: Sim! É claro!

Élcio: Há bastante tempo! Desde 1991.

Pr.Fernando: Então agente vai fazer esta pergunta agora para o doutor César. A mídia, a pergunta agora é pra esse lado, a cobrança da mídia, em relação a estar sempre pronto, sempre disposto sexualmente isso tem atingido as pessoas? Afeta os relacionamentos? O que isso tem causado aos relacionamentos hoje doutor?

Dr. César: É afeta sim! Podemos ter os dois extremos. A Pessoa que tem bloqueios sexuais, dificuldades na sua expressão da sua sexualidade, e pessoas que tem um aumento dessa experimentação, e desejo sexual, o que a gente chama de exacerbação da sexualidade, uma fissura, vamos dizer assim. Então estes dois extremos são complicados. E a felicidade tem que ver com chegar um pouco mais pro meio, que é viver uma sexualidade, feliz, natural e também viver os outros lados da vida conjugal. Realmente é passada muito esta idéia de que você tem que ter um desempenho sexual ótimo então vem um monte de livros de auto-ajuda pra sexualidade, ou vem orientações de como você ter um corpo mais sexy, mais sensual e tudo. Até práticas de posições. Várias coisas assim, que podem tapar a necessidade de se colocar junto á sexualidade outras praticas da relação afetiva com o companheiro ou companheira. É muito comum hoje em dia, olha que coisa incrível! Nos consultórios psicológicos, de psicanalistas, psiquiatras, eu escuto muito isso como psiquiatra, queixas de pessoas que tem tido muita prática sexual ao longo da vida, queixas relacionadas com a própria sexualidade. Entre os fatores, está a mídia. Porque a mídia pode passar a idéia enganosa para as pessoas, a idéia que se você for “muito ótimo” na sua performance sexual, isso por si só garante a felicidade na tua vida. Enquanto que na realidade, uma pessoa pode ter uma ótima performance sexual e não ter nenhuma capacidade de desenvolver o amor mesmo pela pessoa, à afetividade, a afinidade afetiva. Então, só para dar um exemplo, muitos homens podem procurar ajuda profissional para a questão de impotência sexual, porque não consegue ter ereção, ou manter a ereção, apenas um exemplo de uma disfunção sexual, então muito desses casos, dessas histórias acontece por quê?

Porque a pessoa fica com o pensamento tão forte de que tem que ter um desempenho sexual ótimo para poder agradar a sua parceira que isto gera uma ansiedade tão alta, que acaba atrapalhando. Então esse indivíduo precisa aprender de que ás vezes ele quer que o seu corpo ame, quando na realidade a sua alma, o seu ser, não está amando.

Então vai ter problemas na sua função sexual. Então nós temos que nós despir dessa pressão externa e talvez interna, que nós podemos ter incorporado também, de que pra ser feliz eu vou ter que ter um desempenho idealizado da minha sexualidade. Eu preciso desenvolver a minha sexualidade, mais dentro de uma normalidade, de equilíbrio, a vida conjugal feliz depende de afetividade, de diálogo e de outras coisas além da sexualidade.

Pr. Fernando: Maravilha doutor César. Muito Obrigado! Élcio e Patrícia, vocês foram convidados aqui para o nosso programa, eu queria confessar pra vocês, porque realmente eu queria dar esta visão ao mundo, esta noção, de que há pessoas que são realmente felizes no casamento. É possível ser feliz no casamento, sete anos e meio, quinze, dezoito anos como é o meu caso, agente pode ser feliz no casamento e colocar as coisas nas devidas proporções. Muito obrigado pela participação de vocês.

E aí, você se lembra da pergunta inicial que fizemos: Da pra perceber quem está errado?

Está errado quem manipula você! Mas também está errado você que se deixa manipular!

Equilíbrio é a palavra máxima!

Se nos relacionamentos precisamos desenvolver carinho, afeto e sexualidade, porque vamos ficar tentando ser feliz, sem compromisso, procurando satisfazer só a nossa sexualidade?

Não podemos nos realizar se satisfazemos apenas um aspecto da vida! Qualquer coisa que fazemos em excesso se torna prejudicial! Até mesmo a religião!

Sim! Não se esqueça de que um ser humano normal precisa desenvolver três aspectos da sua vida para ser feliz:

1º – Físico

2º – Mental

3º – Espiritual

Se você concentra toda a sua energia só em uma delas você será sempre infeliz, mesmo que a área escolhida seja a espiritualidade! Você será um fanático!

Cuidado! Estão tentando fazer com você uma lavagem cerebral! Estão querendo que você não consiga agir nem pensar por si mesmo! Querem transformar você em um robô com um comportamento padrão! Pense bem!Sexo não é tudo na vida.

Ouça estas duas dicas que a palavra de Deus dá sobre sua felicidade e o equilíbrio da vida:

1- Romanos 12:2 – “Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente!” – Entendeu o recado? Existe sabedoria nele? Olhe ao seu redor, veja o que estão querendo fazer com a sua mente e não se conforme!

Você gostaria de ser melhor do que é? Gostaria de ser melhor marido, melhor profissional, até de ter um desempenho sexual melhor?

Transforme-se renovando a sua mente com a palavra de Deus! É o que diz o apóstolo Paulo. E é o próprio apóstolo Paulo que inspirado pelo Espírito Santo dá também o segundo conselho:

2- I Coríntios. 10:31 – “Portanto quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus!”

Deus tem o melhor caminho pra tudo! Percebeu o texto: Quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer…

Deus tem a resposta pra tudo na vida! Até mesmo para sua vida sexual!

Faça de Deus o primeiro! Busque em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e as outras coisas serão acrescentadas! Mateus 6:33

Caso você queira aprofundar o seu conhecimento da Bíblia, solicite agora mesmo o Curso Bíblico do programa “Está Escrito”. Ele é inteiramente grátis. Teremos o maior prazer em atender sua solicitação. Entre em contato conosco agora mesmo.

Esta Escrito

novotempo.org.br

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória